Fotos: Fabiano Bordignon/Revista Única

Moradora de Tubarão precisa de ajuda para amenizar as complicações do lúpus

COMPARTILHE:

Conseguir viver com tranquilidade financeira exige muito esforço, mas quando a luta é acompanhada de doença é ainda mais difícil. A moradora de Tubarão, Edineia da Silva, 42 anos, é aposentada por invalidez e enfrenta muitas batalhas para sobreviver e acompanhar o desenvolvimento de seus dois filhos, de 18 e 20 anos e uma neta de dois anos. Ela é natural de Araquari no Norte do Estado de Santa Catarina – mora na em Tubarão há 23 anos.

>> Quer receber notícias por WhatsApp? Acesse aqui

O diagnóstico de Lúpus, em 2006 foi, o marco inicial de muitas batalhas que começaram a surgir. Em 2009, teve que iniciar o uso de oxigenação por conta da pneumonite lúpica. A aposentadoria por invalidez veio em 2012.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O amor pela família sempre foi a maior força para Edineia enfrentar a rotina difícil. Mas há três anos seu tratamento teve alterações e sua condição de saúde começou a piorar bastante. “Eu sempre me consultava com uma médica em Florianópolis, mas ela saiu do hospital. E, desde que outra reumatologista assumiu o lugar da anterior, ela optou por retirar as medicações que eu fazia uso”, conta ao explicar que a partir desta mudança ela tem muita dificuldade para engolir e a respiração só é possível com uso de oxigênio através de Ventilação Não Invasiva (VNI).

Em dezembro do último ano, Edineia teve de ser submetida a uma gastrotomia por via endoscópica para poder se alimentar. A médica de Florianópolis orientou que o tratamento fosse acompanhado por profissionais de Tubarão ao afirmar que não havia mais o que ser feito por se tratar de uma doença neurológica.

“Eu não tive escolha e tive que buscar tratamento por aqui e, atualmente, eu acompanho minha doença com um neurologista e uma reumatologista, ambos particular”, salienta.

Edineia sempre foi engajada em trabalhos sociais e nunca pensou que chegaria a vez dela própria precisar de ajuda. Mas, seu grupo de trabalho voluntário que realiza doações para pessoas carentes e amigas se sensibilizaram e criaram uma vaquinha virtual para ajudar essa guerreira.

Para arcar com os custos impostos pelas complicações da doença e sustentar o filho mais novo, a paciente conta com um salário mínimo e está fazendo quimioterapia.

Dificuldade financeira

A dificuldade financeira torna tudo mais cansativo e incerto. “Até hoje não tive um diagnóstico preciso para possibilitar um tratamento específico para meu caso. Para isso, preciso de muitos exames de alta complexidade e caríssimos pra fechar o diagnóstico e ter um tratamento digno”, afirma.

Quem puder ajudar comprando ou doando na vaquinha online ou direto na conta, Edineia enaltece com os olhos marejados que ficará imensamente grata. “Quando nós cuidamos de pessoas, Deus cuida da gente”, finaliza.

 Como ajudar

Site da vaquinha on-line:

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/preciso-de-tratamento-urgente (ou acesse aqui)

Doações direto em conta:

Banco: Caixa Econômica Federal

Agência: 0425

Operação: 013

Conta poupança: 2.192-2

PIX

CPF/Chave: 951.376.299-87

Rifa solidária:

1º – Fritadeira elétrica

2 º – Tablet Positivo

3 º – Chaleira elétrica

4 º – Rádio de mesa

5 º – Mixer

6 º – Torneira com filtro

7 º – Sanduicheira

*Valor do bilhete custa R$ 10 e o sorteio será no dia 28 de março. Contato: (48) 9 9941-4808

[Reportagem publicada na edição impressa de fevereiro/março de 2021 – Texto: Joyce Santos]
Compartilhe:

COMPARTILHE:

Fabiano Bordignon

Fabiano Bordignon

Jornalista e editor da edição impressa da Revista Única e do portal www.lerunica.com.br.

Notícias Relacionadas